Facebook registra prejuízo de US$ 157 milhões no segundo trimestre

 27/07 - Embora venha realizando esforços no sentido de abrir caminhos para os anunciantes chegarem ao número crescente de usuários da rede social e ampliar a receita com publicidade online, o Facebook não tem conseguido atender às expectativas dos investidores desde que realizou a oferta pública inicial ações (IPO), em maio, na bolsa eletrônica Nasdaq. A divulgação dos resultados financeiros referentes ao segundo trimestre nesta quinta-feira, 26, reforçam essa percepção.  A empresa encerrou o período com um prejuízo de US$ 157 milhões no segundo trimestre deste ano, ante um lucro de US$ 240 milhões em igual período de 2011.

A receita, por seu lado, registrou o menor de crescimento desde o primeiro trimestre do ano passado, quando mais que duplicou o montante com publicidade, totalizando US$ 1,18 bilhão, um aumento de 32% em relação aos US$ 895 milhões registrados um ano atrás.

A empresa atribui essa situação ao aumento dos gastos de capital (Capex) e com a compensação de funcionários com em razão de sua oferta pública inicial (IPO) realizada em maio. A empresa também credita o resultado ao direcionamento da publicidade para usuários de smartphones e outros dispositivos móveis. Esse descolamento fez com que mais usuários passassem a acessa a rede social em seus celulares, em vez de seus computadores pessoais, onde a empresa tem muito mais formatos de anúncios pagos.

Na teleconferência de apresentação dos resultados, o diretor financeiro do Facebok, David Ebersman, reconheceu que os usuários estão vendo menos anúncios em seus PCs. Segundo ele, o foco da publicidade em dispositivos móveis está coroendo o crescimento de seu negócio de pagamentos, que representa cerca de 16% da receita total da empresa. “Além disso, os usuários estão preferindo jogar games móveis, em vez de os no site do Facebook”, disse ele.

A divulgação do balanço do Facebook fez com as ações negociadas no after-hours caíssem 10%, para US$ 24,12, depois de terminar a sessão ordinária com queda de 8,5%, para US$ 26,84.

fonte: tiinside

Facebook junto com HTC deve lançar seu próprio smartphone

Mark Zuckerberg está fazendo de tudo para segurar as pontas em publicidade
Segundo a agência de notícias Bloomberg, o Facebook está trabalhando com a HTC Corp para lançar seu próprio smartphone em meados de 2013, disseram fontes com conhecimento do assunto. Além disso, a rede social está desenvolvendo um sistema operacional modificado para o aparelho e incorporou uma ex-equipe de programadores da Apple Inc. para melhorar seu aplicativo do iPhone.

A intenção das empresas era liberar o smartphone já no final deste ano, mas adiaram para dar à HTC mais tempo para trabalhar em outros produtos, revelaram algumas das fontes, que pediram anonimato porque os planos não são públicos.

De acordo com a Bloomberg, mais da metade dos 900 milhões de usuários do Facebook acessam a rede social via aparelhos móveis, mas a empresa está sob forte pressão porque nenhum dos US$ 3,15 bilhões em vendas de publicidade no ano passado vieram de anúncios em celulares. Portanto, o lançamento de um smartphone do Facebook provavelmente atrairia anunciantes, o que amenizaria a pressão e a queda das ações da empresa.

“O acesso ao Facebook está se deslocando para o celular e eles não têm sido capazes de rentabilizar seu negócio mobile”, disse Anthony Victor, analista da Topeka Capital Markets Inc. Ele acrescenta que a rede social poderia aproveitar então, para incluir muitos anúncios na plataforma mobile.


fonte: Globo

Operadoras devem retomar venda de chips em 15 dias

Em 25/07 - A suspensão da comercialização de linhas telefônicas e modems da Claro (proibida em São Paulo e mais dois Estados), Oi (em cinco) e TIM (em 18 mais o Distrito Federal), iniciada segunda-feira, está longe de ser revertida. De acordo com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, a punição deve se estender por pelo menos mais duas semanas.

"Não vamos resolver isso em 15 dias, mas achamos que neste prazo é possível ter um plano (de investimento) e compromissos públicos que sinalizem para a solução do problema. Aí autorizaremos a venda de novas linhas condicionada ao cumprimento desse compromisso", disse Bernardo.

Na avaliação do consultor de telecomunicações Artur Borioli, sócio-diretor da L&A Consultoria Móvel, o imbróglio dificilmente será solucionado em 15 dias ou em um mês. "A Anatel demorou muito para tomar essa decisão e, com isso, os problemas foram crescendo cada vez mais. Os call centers precisam estar muito bem preparados para que as reclamações diminuam consideravelmente."

Quanto aos planos de investimento, que visam melhorar a qualidade dos serviços de telefonia e têm de ser entregues até o dia 21 de agosto, o ministro informou que eles serão divulgados na internet para que os consumidores acompanhem se as medidas estão sendo cumpridas.

Para Borioli, é importante que os aportes sejam muito bem justificados. "A gente olha aquele monte de números e não sabe como mensurar esses investimentos. Tem que ficar bem claro."

O conselheiro da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) Marcelo Bechara estima que as medidas de suspensão da venda dos chips não se repitam daqui para frente. "Esperamos que essa seja a última vez e que esse movimento seja um divisor de águas. As medidas são importantes para uma arrumação do setor, que é estratégico e queremos ver fortalecido", ressaltou. "A decisão foi dura e drástica. Não nos interessa inviabilizar as empresas, mas precisam entregar o que prometem, serem tão competentes quanto o marketing. As operadoras têm capacidade, no curto prazo, de realizarem mudanças perceptíveis."

A TIM, proibida de vender em 18 Estados e Distrito Federal, se reuniu ontem com a Anatel para apresentar seu plano de investimentos. A agência pediu mais detalhes das propostas no atendimento aos clientes nos call centers.

A proposta tem mais de 800 páginas e concentra 80% das informações em investimentos na rede. "Queremos que o plano contemple a criação de centros e postos de atendimento e aquisição de novos equipamentos", afirmou o superintendente de Serviços Privados da Anatel, Bruno Ramos.

A Claro já entregou a primeira versão de seu projeto. A Oi ainda não tem data para se reunir novamente com a Anatel.

fonte: Diário do Grande ABC

Apple dá início à produção do iPhone 5 na China, diz site

O iPhone 5 já está em produção. De acordo com informações da imprensa taiwanesa, a empresa Pegatron teria começado, nas últimas semanas, a fazer as primeiras unidades do próximo smartphone da Apple em sua fábrica, em Xangai. As informações são do portal Digitimes e citam “fontes da indústria de Taiwan”.
Expectativas estão grandes em cima do lançamento do novo iPhone (Foto: Reprodução)Expectativas estão grandes em cima do lançamento
do novo iPhone (Foto: Reprodução)

Segundo a página, o telefone vai mesmo ter a parte traseira de vidro e alumínio, com uma tela de quatro polegadas Retina. Além disso, a reportagem garante que a empresa asiática também será uma das escolhidas pela Apple para produzir “uma nova versão do iPad”, junto com a Foxconn.

A expectativa de lançamento do iPhone 5 é para o próximo trimestre. Especula-se que o anúncio oficial seja feito em agosto e a comercialização seja iniciada em setembro ou outubro. A Apple, como sempre, guarda os segredos sobre seu próximo aparelho a sete chaves.

Nos próximos dias, porém, devem continuar surgindo novas informações sobre a produção e supostas especificações técnicas do iPhone 5.

fonte: Techtudo

CEO demitido do Yahoo por polêmica no currículo assume nova empresa


Scott Thompson, recentemente demitido do cargo de CEO do Yahoo, se tornou o novo líder da ShopRunner, uma rede on-line de compras que entrega os pedidos dos consumidores em um prazo de dois dias nos Estados Unidos.

O anúncio da chegada de Thompson à ShopRunner acontece dois meses depois de sua saída do Yahoo. O executivo de 54 anos foi tirado da liderança da pioneira da internet depois de um acionista ter revelado que Thompson havia alternado seu currículo --a biografia disponibilizada pelo executivo trazia um grau de formação que ele não havia obtido.

Na semana passada, o Yahoo substituiu Thompson com a contratação de Marissa Mayer, vinda do Google. Mayer é a quinta CEO apontada pelo Yahoo nos últimos cinco anos. Desde a saída de Thompson, Ross Levinsohn estava trabalhando como CEO interino.

Segundo a Associated Press, Thompson tinha um salário de US$ 1 milhão com um bônus anual de até US$ 2 milhões quando trabalhava no Yahoo.

Em seu novo trabalho, Thompson será o líder de uma companhia que ainda não é negociada na bolsa e valores. A ShopRunner também tem ligação com o eBay, dona do PayPal, onde o executivo trabalhava antes de ir para o Yahoo.
 
fonte: g1

Anatel mostra rigor em análise de planos

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse ontem que a presidente Dilma Rousseff aprovou a medida da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), considerada dura pelo setor, de suspender as vendas de novos planos de celular da TIM, Oi e Claro por problemas de qualidade nos serviços dessas companhias. "Quando liguei para a presidenta, ela disse que a gente estava muito certo e que eles teriam mais é que apresentar seus compromissos de melhoria dos serviços", afirmou o ministro.

fonte: Valor On Line

Vendas de serviços das operadoras Claro, Oi e TIM estão suspensas

Medida imposta pela Anatel entrou em vigor nesta segunda-feira (23).
Operadoras estão impedidas de vender chips e serviços de dados.

 As operadoras de telefonia Claro, Oi e TIM estão impedidas de comercializar chips e serviços de internet a partir da zero hora desta segunda-feira (23), em estados onde lideraram os índices de reclamações sobre a qualidade de seus serviços. A medida foi imposta pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) na quarta-feira (18).

A Claro terá de interromper suas vendas em três estados, enquanto a Oi teve a interrupção determinada em cinco estados e a TIM, em 19 estados.

"A Anatel considerou a crescente evolução da taxa de reclamações de usuários registrada em sua central de atendimento relativa à qualidade da prestação do serviço, e os registros dos sistemas da Agência e as ações de fiscalização realizadas", informou a agência em comunicado na sexta-feira (20).

A agência reguladora determinou uma multa de R$ 200 mil por dia e por cada estado em que a medida for descumprida. A restrição também se aplica a vendedores independentes como bancas de jornal e camelôs. A Anatel informou que vai monitorar o cumprimento das medidas por meio do sistema eletrônico de informações das operadoras, ao qual já tem acesso.

As operadoras também terão de colocar um aviso em cada posto de venda e uma gravação no centro de atendimento informando que as vendas estão suspensas. Caso contrário estão sujeitas a multa de R$ 10 mil por dia para cada estado em que houver descumprimento. A informação foi publicada no Diário Oficial da sexta-feira (20).

As vendas poderão ser retomadas somente após as empresas apresentarem planos de investimentos, o que deverá ser feito dentro de até 30 dias, contendo metas para resolver os problemas apresentados, informou o presidente da Anatel, João Rezende, após o anúncio das sanções, na quarta-feira (18). De acordo com o presidente da Anatel, a agência terá de aceitar as condições desses planos.

Melhora em seis meses
O superintendente de Serviços Privados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Bruno Ramos, estimou que em seis meses deve haver melhoria na qualidade da rede do serviço móvel, que engloba voz e dados. "A melhoria na qualidade de rede já vai aparecer em seis meses", declarou ele a jornalistas, após reunião com diretores da Oi em Brasília, nesta sexta.

Suspensões
Embora não tenham de suspender a venda de chips, as operadoras Vivo, CTBC e Sercomtel também deverão apresentar um plano de melhoria dos serviços em suas áreas de atuação. Caso contrário também podem vir a ter a venda de chips suspensa.

A suspensão na venda de chips, no que se refere à Claro, engloba os estados de Santa Catarina, Sergipe e São Paulo. Sobre a Oi, a decisão da Anatel abrange os estados de Amazonas, Amapá, Mato Grosso do Sul, Roraima e Rio Grande do Sul. No caso da TIM, a suspensão da venda de chips engloba os seguintes estados: Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia e Tocantins.

Recursos e reuniões
Na sexta-feira, a TIM entrou com mandado de segurança contra a decisão da Anatel de suspender as vendas e ativações de novos chips da empresa em 18 estados do país e no Distrito Federal. A ação foi impetrada na 4ª Vara Federal no Distrito Federal. Segundo a Justiça Federal, a decisão não sairá nesta sexta-feira (20) e pode ficar para segunda (23).

Na tarde de quinta-feira, a operadora se reuniu com a Anatel para tratar das medidas impostas pela agência. Segundo Ramos, superintendente da agência, a reunião foi "tensa". "Eles discordaram da punição", declarou.

Antes do encontro com a TIM, Ramos já havia se reunido com representantes da Claro, que entregou um plano preliminar de melhorias. Na manhã de sexta-feira, o superintendente participou de encontro com a Oi. Em nota, a Oi informou que irá "otimizar o ritmo de seus investimentos em 2012" e que entregará, ao longo da próxima semana, uma versão preliminar do plano de ação.

Avaliação do governo
Na avaliação do secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Cezar Alvarez, as empresas de telefonia celular "falharam" ao calcular a demanda por seus produtos. "É fruto de um erro de cálculo. Descasaram o arrojo dos planos com a infraestrutura. Houve uma falha das empresas. Se alguém vai tipificar essa falha, fazer juízo de mérito, ou adjetivar boa fé, ou má fé, não é responsabilidade nossa. A empresa é punida pelo próprio mercado. Pela capacidade do cidadão reclamar e consumir (...) Invista, ou não venda", declarou Alvarez na quinta-feira (19) a jornalistas.

fonte: G1