Facebook registra prejuízo de US$ 157 milhões no segundo trimestre

 27/07 - Embora venha realizando esforços no sentido de abrir caminhos para os anunciantes chegarem ao número crescente de usuários da rede social e ampliar a receita com publicidade online, o Facebook não tem conseguido atender às expectativas dos investidores desde que realizou a oferta pública inicial ações (IPO), em maio, na bolsa eletrônica Nasdaq. A divulgação dos resultados financeiros referentes ao segundo trimestre nesta quinta-feira, 26, reforçam essa percepção.  A empresa encerrou o período com um prejuízo de US$ 157 milhões no segundo trimestre deste ano, ante um lucro de US$ 240 milhões em igual período de 2011.

A receita, por seu lado, registrou o menor de crescimento desde o primeiro trimestre do ano passado, quando mais que duplicou o montante com publicidade, totalizando US$ 1,18 bilhão, um aumento de 32% em relação aos US$ 895 milhões registrados um ano atrás.

A empresa atribui essa situação ao aumento dos gastos de capital (Capex) e com a compensação de funcionários com em razão de sua oferta pública inicial (IPO) realizada em maio. A empresa também credita o resultado ao direcionamento da publicidade para usuários de smartphones e outros dispositivos móveis. Esse descolamento fez com que mais usuários passassem a acessa a rede social em seus celulares, em vez de seus computadores pessoais, onde a empresa tem muito mais formatos de anúncios pagos.

Na teleconferência de apresentação dos resultados, o diretor financeiro do Facebok, David Ebersman, reconheceu que os usuários estão vendo menos anúncios em seus PCs. Segundo ele, o foco da publicidade em dispositivos móveis está coroendo o crescimento de seu negócio de pagamentos, que representa cerca de 16% da receita total da empresa. “Além disso, os usuários estão preferindo jogar games móveis, em vez de os no site do Facebook”, disse ele.

A divulgação do balanço do Facebook fez com as ações negociadas no after-hours caíssem 10%, para US$ 24,12, depois de terminar a sessão ordinária com queda de 8,5%, para US$ 26,84.

fonte: tiinside