Tablets::Positivo com Android no Brasil e Argentina

Empresa dá início às operações na Argentina, com a marca Positivo BGH, e prevê política agressiva de preços apoiada no ganho em escala. A aliança entre a brasileira Positivo e a argentina BGH, que gerou a marca Positivo BGH, entra em operação em solo argentino com unidade fabril, localizada na Terra do Fogo, capacitada a produzir 2,5 mil computadores por dia e 30 mil placas-mãe mensalmente para notebooks. A empresa [que totalizou cerca de 2 milhões de PCs vendidos em 2010] venderá três linhas de notebooks na Argentina e, em breve, também no Uruguai. Todas as máquinas com processadores Intel Core i3 e sistema operacional Windows 7. Em uma segunda etapa, chegarão os tablets, ainda neste ano. "Com certeza, teremos esses dispositivos para o Natal, no Brasil e na Argentina", promete Hélio Rotemberg, presidente da Positivo. De acordo com o executivo, os tablets da Positivo rodarão o sistema operacional Android, porém a versão ainda está em definição. "Já temos o direito de licenças para a 3.0. Contudo, estamos alinhando com a Google qual será a versão." Rotemberg não revela os preços dos tablets, mas afirma que eles seguirão a estratégia da empresa de  oferecer preços altamente competitivos. "A capacidade de produzir grande volume garante o lucro com vendas em grande escala, permitindo trabalhar com  preços agressivos", diz Norbeto Maraschin Filho, CEO da Positivo BGH.