Business::CIOs brasileiros estão mais propensos à adoção de cloud

Estudo da Avanade, realizado em 18 países, mostra que 59% das empresas brasileiras têm projetos para nuvem privada, ante 43% da média mundial.Os projetos para processamento em nuvem privada estão mais avançados no Brasil que em outros mercados,
revela um estudo global realizado pela Avanade, joint venture formada entre Microsoft e Accenture.De acordo com o relatório, 59% dos CIOs brasileiros têm iniciativas nessa área ante a média mundial, que ficou em 43%. Os resultados são contrários aos que o Gartner divulgou esta semana durante a VIII Conferência de Outsourcing, realizada em São Paulo, que mostra que os executivos do Brasil são os mais atrasados na adoção desse modelo. A Avanade entrevistou 573 companhias de grande porte entre março e abril deste ano em 18 países da América do Norte,  América do Sul, Europa e Ásia-Pacífico. O único país participante da América Latina foi o Brasil, onde foram abordadas aproximadamente 40 empresas. O objetivo do levantamento era medir o interesse e o nível de adoção do modelo de cloud computing.  Foram ouvidos executivos do alto escalão tomadores de decisão como CEO, CIO e CFO.
Outra constatação do estudo que coloca o Brasil na frente é em relação ao aumento dos investimentos em TI para o próximo ano. Entre os executivos entrevistados no País, 81% disseram que pretendem ampliar os gastos com tecnologia, enquanto que esse índice mundial ficou em 55%. Parte dos recursos vai para cloud computing e soluções de segurança.

Para o diretor de tecnologia da Avanade, Hamilton Berteli, que conduziu o estudo, a intenção dos gestores brasileiros gastarem mais em tecnologia que seus pares globais justifica-se pelo momento favorável do País. "O Brasil está se tornando a estrela da 
economia mundial e precisa investir em TI para alavancar o seu crescimento", acredita o executivo. Apesar das confusões geradas no mercado sobre as duas formas de uso de cloud computing, 78% dos entrevistados brasileiros disseram que conhecem bem o que é um serviço privado. Outros 72% mencionaram este modelo como parte de sua estratégia de TI, o qual já foi adotado por quase 60% deles. Ao serem questionados sobre fatores que estão estimulando as empresas brasileiras a investiram em aplicações na nuvem, os executivos mencionaram três razões: mais flexibilidade, maior facilidade para colaboração e eficiência. Entre as aplicações mais contratadas pelas empresas brasileiras no modelo de cloud através de provedores comerciais estão as de email, com participação de 69%;  ferramentas para apresentação e processadores de texto (50%); e soluções de Customer Relationship Management (CRM).