Telefónica indicará Genish para presidência da Vivo



O conselho de administração da Telefônica Brasil elegeu nesta quarta-feira, 25, Alberto Manuel Horcajo Aguirre, atual diretor de Finanças, Recursos Corporativos e de Relações com Investidores da companhia, para os cargos de diretor presidente e diretor geral e executivo, em substituição, respectivamente, a Antonio Carlos Valente da Silva e a Paulo Cesar Pereira Teixeira.

Aguirre acumulará as funções pelo prazo remanescente do mandato dos substituídos ou até que o conselho de administração delibere pela eleição de novos diretores.

No fato relevante, a operadora informa ainda que a controladora da companhia, a espanhola Telefónica, divulgou nota mencionando que proporá ao conselho de administração da companhia a nomeação de Amos Genish, atual CEO da GVT, para ocupar a presidência da Telefônica Brasil após a efetivação da aquisição da GVT, o que deverá ocorrer ao longo do primeiro semestre deste ano.

Além disso, conforme o comunicado, Paulo Cesar Pereira Teixeira deixou também o cargo de membro do conselho de administração da companhia. Já Antonio Carlos Valente permanecerá no cargo de presidente do conselho de administração.

IR 2015: saiba quais despesas podem ser deduzidas



O contribuinte pode lançar mão de várias deduções para reduzir o impacto da mordida do Leão no bolso. As deduções ajudam a reduzir a base de cálculo do Imposto de Renda, diminuindo, portanto, o valor pagar ou aumentando as chances de restituição. Confira as despesas que podem ser deduzidas:

Despesas com dependentes:
O limite anual é de R$ 2.156,52 por dependente.

Despesas com educação:
O limite individual para cada membro da família é de R$ 3.375,83 por ano. Entre as despesas permitidas, estão: creche, educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, curso superior, cursos de especialização e profissionalizantes.

Despesas médicas:
Podem ser dedutíveis integralmente, desde que relacionadas a tratamento próprio e dos dependentes.

Pensão alimentícia:
Podem ser deduzidos todos os pagamentos destinados à pensão alimentícia. Porém, é importante notar que quem recebe a pensão deixa automaticamente de ser considerado dependente do contribuinte.

Contribuição à Previdência Social:
Você poderá deduzir sem limites todas as contribuições pagas à Previdência Social em 2014, tanto como trabalhador empregado, como contribuinte individual ou facultativo.

Contribuição à Previdência Privada:
Nos planos PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e Fapi (Fundo de Aposentadoria Programada Individual) as contribuições às entidades de previdência privada que corresponderem a até 12% da sua renda tributável podem ser deduzidas da base de cálculo do IR. Para isso, é necessário que o contribuinte recolha INSS.

Livro-caixa:
Podem ser deduzidas as despesas escrituradas no livro-caixa por profissionais autônomos como remuneração de terceiros com vínculo empregatício e os respectivos encargos trabalhistas e previdenciários, emolumentos e despesas de custeio necessárias à percepção da receita e à manutenção da fonte produtora.

Aposentadorias e pensões de maiores de 65 anos:
Pode ser deduzida a quantia de R$ 1.787,77 por mês, incluindo o 13º salário, correspondente à parcela isenta dos rendimentos das aposentadorias e pensões pagas pelos setores públicos ou privados a partir do mês em que o contribuinte completar 65 anos de idade.

Contribuição à Previdência Social do empregado doméstico:
Os valores pagos a título de Contribuição Patronal à Previdência Social do empregado doméstico serão deduzidos do Imposto devido, obedecendo aos limites definidos em lei, limitados a R$ 1.152,88 (incluindo 13º salário e férias). O valor corresponde à contribuição de 12% paga pelo empregador ao INSS.

Cursos de graça das 5 melhores universidades do mundo

Excelência a um clique

Harvard, Cambridge, Oxford, MIT e Stanford: nessa ordem, essas são as cinco universidades mais prestigiadas do mundo, segundo o último ranking divulgado pela Times Higher Education.




Não é barato estudar nessas instituições. Para citar apenas um exemplo, o custo anual estimado da graduação no MIT, sem nenhuma ajuda financeira, é de 63.250 dólares.

Apesar disso, você pode ter acesso gratuito, pela internet, a alguns cursos oferecidos por essas universidades. Nesta galeria, selecionamos 15 pacotes de aulas sobre assuntos como direito, engenharia, programação e finanças. Todos são oferecidos em inglês. Clique nas fotos para vê-los.

"Inteligência artificial"

Neste curso introdutório, o aluno passa a ter compreensão intuitiva do funcionamento da inteligência artificial, a partir de demonstrações interativas. Ao final das aulas, o aluno deve ser capaz de desenvolver sistemas inteligentes para responder a problemas computacionais reais.

Universidade: MIT (Massachusetts Institute of Technology)
Professor: Patrick Henry Winston
Link para vídeos no MIT OpenCourseWare
http://ocw.mit.edu/courses/electrical-engineering-and-computer-science/6-034-artificial-intelligence-fall-2010/lecture-videos/


"Justiça"

O professor analisa teorias e discute aplicações da justiça em casos como direitos humanos, papel dos mercados na sociedade e casamento entre pessoas do mesmo sexo. O aluno é convidado a ler textos de Aristóteles, John Locke, Immanuel Kant, entre outros autores, e examinar suas próprias convicções à luz dos textos.

Universidade: Harvard
Professor: Michael J. Sandel
Link para os vídeos no edX
https://www.edx.org/course/justice-harvardx-er22-1x#.VRFsCfzF8ud

"Construindo um negócio"

Esta série de aulas ensina noções básicas para desenvolver um negócio. O professor traz exemplos práticos para facilitar a visualização dos “segredos” das empresas bem-sucedidas.

Universidade: Oxford
Professores: Thomas Hellmann e outros
Link para vídeos e áudios no site da universidade
http://podcasts.ox.ac.uk/series/building-business

"Estatística 110: Probabilidade"

O curso oferece uma introdução à probabilidade e aos métodos estatísticos, com aplicações em economia, finanças e engenharia. A programação cobre assuntos como Teorema de Bayes, cadeias de Markov e variáveis aleatórias.

Universidade: Harvard
Professor: Joe Blitzstein
Link para os vídeos https://www.youtube.com/playlist?list=PL2SOU6wwxB0uwwH80KTQ6ht66KWxbzTIo

"Metodologia da programação"

O professor apresenta o aluno ao mundo da engenharia da computação. As aulas se baseiam na linguagem de programação Java e se concentram em princípios modernos de criação de software, como design orientado para o objeto, decomposição, encapsulamento, abstração e testes.

Universidade: Stanford
Professor: Mehran Sahami
Link para vídeos no YouTube
https://www.youtube.com/playlist?list=PL84A56BC7F4A1F852

"Raciocínio crítico para principiantes"

A professora ensina a raciocinar de forma clara e convencer os outros do seu ponto de vista. As aulas também incluem uma discussão sobre como distinguir bons e maus argumentos numa discussão.

Universidade: Oxford
Professora: Marianne Talbot
Link para vídeos e áudios no site da universidade
http://podcasts.ox.ac.uk/series/critical-reasoning-beginners

"Introdução à ciência da computação"

As aulas trazem o básico sobre programação de forma acessível a alunos leigos. O professor ensina a pensar de forma algorítmica e resolver problemas. Os temas incluem abstração, estrutura de dados, segurança e engenharia de software. No fim de 2014, a versão presencial deste curso foi a mais assistida de Harvard.

Universidade: Harvard
Professor: David J. Malan
Link para os vídeos no edX
https://www.edx.org/course/introduction-computer-science-harvardx-cs50x#.VRFryfzF8uc

"Empreendedorismo pelas lentes do venture capital"

As aulas apresentam as bases fundamentais para criar uma empresa bem-sucedida, com base na experiência dos professores com venture capital. O objetivo não é trazer uma “receita de bolo”, mas revelar os princípios e padrões que aparecem na maior parte dos empreendimentos que dão certo.

Universidade: Stanford
Professores: Greg Ennis e outros
Link para vídeos no YouTube
https://www.youtube.com/course?list=ECD4B36B6CAFD3E907

"Ciências da computação 101"

O objetivo das aulas é ensinar as ideias básicas da ciência da computação para um público completamente leigo no assunto. O aluno é apresentado a pequenos experimentos de código no navegador para entender a natureza e as limitações dos computadores.

Universidade: Stanford
Professor: Nick Parlante
Link para vídeos no Coursera
https://www.coursera.org/course/cs101

"Empreendedorismo tecnológico"

O foco do curso é capacitar o aluno a enxergar oportunidades de negócio em tecnologia. A referência é o Vale do Silício, onde surgiram gigantes como Google e Facebook. O professor mostra como identificar uma solução tecnológica com potencial comercial, reunir recursos para desenvolver o produto e conseguir vender a ideia no mercado.

Universidade: Stanford
Professor: Chuck Eesley
Link para vídeos no YouTube
https://www.youtube.com/playlist?list=PLF6C0319C607DEDC1

6 Razões para ter um Apple Watch

O Apple Watch chega às lojas no dia 24 de abril nos Estados Unidos e em outros oito países (mas, por enquanto, não no Brasil). Se a expectativa do mercado se confirmar, vai ser um sucesso de vendas.


Analistas preveem que até 30 milhões de unidades podem ser vendidas neste ano. É dez vezes o total de relógios inteligentes vendidos até agora. Mas isso não significa que você deva correr para arrematar seu Watch. Veja seis razões para comprar o relógio da Apple Watch e Seis para não comprar.

1. Comprar: Smartphone no bolso

Um estudo recente apurou que usuários de smartphone olham a tela do aparelho 220 vezes por dia, em média. Outra pesquisa indica que metade das interações das pessoas com o celular envolvem notificações, consultas ao relógio ou calendário, fotos, curtidas no Facebook e mensagens curtas.

São coisas que caberiam na telinha de um relógio. Assim, em vez de ficar tirando o celular do bolso (ou da bolsa), é mais prático olhar para o pulso para verificar essas coisas.

2. Comprar: É fácil de usar

A interface gráfica do Apple Watch foi elaborada para uso num relógio. Em vez da grade de ícones quadrados vista no iPhone, há ícones circulares que podem ser movidos na tela. Eles ficam maiores perto do centro para que seja mais fácil tocá-los com o dedo.

A coroa do relógio e o botão lateral complementam a tela sensível ao toque. Pessoas que experimentaram o Watch dizem que o conjunto é prático e muito fácil de usar.



3. Comprar: Apps para tudo

Quando a Apple começar a vender o Apple Watch, no dia 24 de abril, a App Store vai ganhar uma seção com apps específicos para o relógio. Eles vão rodar no iPhone, mas com uma extensão no Watch – de modo que o usuário possa interagir com eles na telinha de pulso.

Como a aconteceu com os PCs, tablets e smartphones, podemos esperar uma enxurrada de novos aplicativos que vão acrescentar cada vez mais funções ao Watch. Entre as empresas que já criaram apps para o relógio estão Nike, CNN, Twitter, Ebay, New York Times, ESPN, American Airlines e muitas outras.

4. Comprar: Treinador de pulso

É verdade que uma pulseirinha de monitoração de atividades pode contar seus passos e registrar seus exercícios físicos. Mas o Apple Watch faz muito mais. Ele pode mandar você se movimentar quando está parado há muito tempo, por exemplo.

Ele também mede seus batimentos cardíacos para ajudá-lo a manter-se dentro da frequência ideal durante os treinos. Numa corrida, caminhada ou pedalada, o Watch pode dizer para você acelerar ou reduzir o ritmo. Também pode indicar o caminho, algo que as pulseiras de exercícios não fazem.



5. Comprar: Muitos relógios em um

O usuário do Apple Watch poderá escolher entre dezenas de mostradores. Há desde desenhos clássicos que imitam relógios mecânicos até um em que Mickey Mouse aponta as horas enquanto balança o pé no ritmo dos segundos.

Em muitas dessas faces, o usuário pode escolher as cores e as informações na tela. Além disso, como acontece nos smartphones, o relógio será sincronizado via internet. E ele vai se ajustar automaticamente ao início e ao fim do horário de Verão.

6. Comprar: Complicações

Alguns mostradores do Apple Watch exibem, além da hora, informações adicionais como condições meteorológicas, fases da Lua e até cotações de ações.

A Apple chama esses indicadores extras de complicações, termo emprestado da indústria relojoeira tradicional. Podem oferecer rapidamente informações que você busca com frequência.