5 Bilhões de telefones celulares segundo a UIT (União Internacional de Telecomunicações)

Na última 4a feira dia, 26 de janeiro de 2011 o chefe da UIT (União Internacional de Telecomunicações) da ONU, Hamadoun Touré afirmou que o número de assinaturas de telefones celulares atingiu a marca de 5 bilhões. Há 11 anos existiam somente 500 milhões de assinaturas móveis. Segundo a agência France Press, a estimativa da ONU para a quantidade de planos de telefonia móvel foi de 5,28 bilhões de assinaturas no final do ano passado. Os números de Banda larga fixa já é de 555 milhões, enquanto a banda larga móvel é de 940 milhões.   

TV Digital - Angola prefere o padrão digital nipo-brasileiro (ISDB-T)


Durante o encontro realizado nessa terça-feira dia 25/01/11,entre o ministro das Comunicações Paulo Bernardo e o vice-ministro de Telecomunicações de Angola, Aristides Safeca, e contrariando a recomendação da Comunidade para o desenvolvimento da África Autral (SADV) para que os países membros da comunidade adotem o padrão europeu de TV Digital, Angola sinaliza que prefere o padrão nipo-brasileiro (ISDB-T). Segundo Aristides, a recomendação do SADV é apenas um indicativo, mas ressaltou que a escolha do padrão de TV digital deve ir além da avaliação técnica, e o pacote brasileiro traz mais benefícios a população e a indústria. O Brasil tem oferecido possibilidades de investimentos, financiamentos e joint-ventures para produção de equipamentos.

Banda Larga - Oi inicia negociações com a África para cabo submarino Africa x Brasil

Essa semana desembarca no Brasil uma delegação do governo angolano para aproximação da Oi e algumas empresas do setor de telecomunicações de Angola para um possível projeto de construção de um novo cabo submarino de comunicação entre Brasil e África. As negociações para a construção do cabo, envolvem a Oi e a Angola Cable (empresa formada pela estatal Angola Telecom e pelas operadores Movicel, Unitel, Mundo Sartel e Mstelcom). Os dois governos tanto da África quanto do Brasil acompanham as conversas. É um projeto se concretizado a negociação que deve chegar a algumas centenas de milhões de dólares. Hoje, Brasil e África são ligados pelo cabo Atlantis 2, com capacidade de 40 Gbps, operado pela Embratel e que liga Brasil, Portugal, Cabo Verde e Senegal. O mesmo consórcio angolano que conversa com a Oi também anunciou um novo cabo submarino ligando África do Sul à Inglaterra, tendo Angola como ponto de amarração. A deficiência de infraestrutura de Internet é hoje um dos maiores problemas enfrentados pelos países africanos para conseguir baratear e popularizar o acesso à banda larga.