SVA: Mobile Entertainment Forum criou um termo de conduta para o setor no Brasil

Vinte e duas  empresas que participaram da elaboração do termos de conduta para a venda de conteúdo móvel no Brasil, que são: Abril, Arvato, Bolicel, Buongiorno, CFLA, Claro, DADA, Flycell, Mobile Intelligence, Movile, Neo Mobile, Oi, PlayPhone, PureBros, Supportcomm, Spring Wireless, TakeNet, TIM, Timwe, Vivo, Zed e Zero 9. O termo estabelece uma série de diretrizes para uma venda mais transparente e ética de serviços de valor adicionado (SVAs) no País, pois o segmento vinha sendo alvo de constantes reclamações dos consumidores, principalmente quanto a pacotes de assinatura semanal. O documento abrange temas como propaganda e promoção de serviços; transparência nos textos das mensagens e tipos de serviços; e clareza nos mecanismos de adesão, renovação e cancelamento dos serviços. Em julho passado a Anatel enviou ofício para as operadoras determinando algumas diretrizes para o segmento de SVAs, como o duplo opt-in na venda de conteúdo móvel via SMS. Na época, o MEF já trabalhava na elaboração do termo de conduta unificado. A iniciativa da entidade procura demonstrar que o mercado de SVA é capaz de se auto-regular. Esse termo deve ter forte presença no mercado pois as 4 grandes operadoras de telecom participaram desse estudo.

3G: Na China corresponde a 5%

Em final de Outubro de 2010, a China bateu na casa 38,64 milhões de linhas 3G em serviço, o que representa o triplo do que existia um ano antes. Mas, esse número ainda é pequeno em relação a base total de assinantes móveis do país, mais precisamente 5%. Do total de acessos 3G, 17 milhões são da China Mobile; 12 milhões, da China Unicom; e quase 10 milhões, da China Telecom. O país tinha, ao fim de outubro, 842 milhões de linhas móveis em serviço, ou 95 milhões a mais do que o verificado um ano atrás. A China Mobile continua sendo a maior operadora do mundo em número de assinantes, tendo atingido a marca de 575 milhões de linhas em serviço. Os números foram apresentados pelo Ministério da Indústria e da Tecnologia da Informação da China e divulgados pelo site Rethink Wireless (www.rethink-wireless.com).