Vivo na liderança em Setembro de 2010 segundo a Anatel, Brasil com mais de 191 milhões de Celulares

No mês de setembro o Brasil registrou 2.043.747 de habilitações (crescimento de 1,08% em relação a agosto) e alcançou a marca de 191.472.142 de acessos do Serviço Móvel Pessoal (SMP), densidade de 98,98 acessos por 100 habitantes (1% a mais que o mês anterior).  Os dados são da Anatel, que periodicamente divulga dados sobre telefonia móvel em seu portal. O Maior volume de celulares é de Pré-Pago. Do total de telefones móveis, 157.283.453 (82,14%) são pré-pagos. Os demais, ou seja, 34.188.689 (17,86%), são pós-pagos. Com relação a liderança do mercado está com a VIVO, com 57.714.394 de acessos (30,14%); seguida pela Claro, com 48.766.711 (25,47%); TIM, com 46.946.628 (24,52%); Oi, com 37.357.581 (19,51%); CTBC, com 589.394 (0,31%); Sercomtel, com 77.129 (0,04%); e Unicel, com 20.305 (0,01%). Na participação por tecnologia, o GSM predomina, com 168.638.923 (88,07%), seguido pelo WCDMA, com 12.145.350 (6,34%).

Microsoft tenta recuperar mercado com o seu Windows Phone 7

Na Nova Zelândia foi vendido o primeiro Windows Phone 7, foi um smartphone HTC 7 Trophy da Vodafone. Ele desenbolsou em torno de 799 EUR. Na Austrália e no Reino Unido estão vendendo o HTC 7 Mozart. Além dos Smartphones da HTC, o Sansung Omnia 7 também está com o sistema operacional da Microsoft. Será a retomada do gigante adormecido???

TI priorizada na Copa do Mundo de 2014


Investimento e TI será uma das prioridades para o Brasil até a Copa do Mundo de 2014. Quem garante é o ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Resende. Ele informou que o setor de telefonia receberá subsídios para expandir sua cobertura, com a tecnologia LTE, a 4G da telefonia móvel, ao menos, nas cidades-sede do Mundial.
As declarações foram feitas durante workshop na Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), realizado na sexta-feira, 15/10, e que marcou o lançamento do Programa 2014-Bis, voltado para investimentos em projetos de inovação tecnológica para os grandes eventos esportivos que o país sediará nos próximos anos, como a Copa 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. A Finep coordena o programa, cujos investimentos podem chegar a cerca de R$ 120 milhões somente nesta primeira fase.
O aporte de recursos tem uma meta: Impedir a importação de conhecimento e fomentar a ciência nacional. "É uma oportunidade para pesquisadores e empreendedores desenvolverem tecnologias para esses eventos esportivos", declarou o ministro Sérgio Rezende. O desafio é grande. "Embora a Copa seja daqui a quatro anos, não temos todos esse tempo. Tudo deve ser feito com antecedência, a meta deve ser 2013. Temos um ano para conceber e definir os projetos e dois anos para executá-los", explicou Resende.
Apesar de evitar dar detalhes - até porque o tema é polêmico - o ministro admitiu a concessão de subsídios para o setor de telefonia ampliar sua cobertura em 4G nas cidades-sede do mundial. Para isso, no entanto, é preciso que a Anatel mantenha a antecipação do cronograma de leilão de frequência - a agência prevê fazer o leilão da faixa de 2,5GHz, voltada para o LTE - em fevereiro de 2011, exatamente, para possibilitar o uso da tecnologia na Copa do Mundo. 
Para o presidente da Finep, esse é um momento histórico para os empreendedores nacionais e para os governos municipais, estaduais e federal. Para que se tenha a ideia da visibilidade proporcionada por uma Copa do Mundo, por exemplo, basta dizer que a estimativa é de que mais de 3 bilhões de pessoas em todo o planeta assistam a pelo menos uma partida do torneio. Além disso, são esperados no país mais de 600 mil turistas estrangeiros.
"Queremos encantar, surpreender e emocionar o mundo, mostrando que o Brasil é um país criativo e inovador. Este é o nosso mantra", explica Eduardo Costa, diretor de Inovação da Finep.