Quinto player na telefonia móvel? Será Possível?




O leilão da banda H da terceira geração vem aí, e os analistas do mercado financeiro acreditam ser pouco provável que um quinto player que não tenha uma operação de nicho seja bem sucedido. Segundo Eduardo Roche, analista do Banco Modal, existe saturação para um quinto player que seja igual aos outros quatro (TIM, CLARO, OI, TELEFONICA).
Neste cenário, possíveis candidatas à faixa como Nextel e GVT, podem ser bem sucedidas, na visão dos analistas. Ainda não é clara a estratégia das empresas com relação à disputa da banda H. Inclusive, as declarações da GVT de que estaria fora da disputa são recebeidas com ceticismo. "Se eu fosse concorrente da GVT, só acreditaria se no dia do leilão, ela não aparecesse", diz Valder Nogueira, analista do Santander. O desenvolvimento da GVT, ele observa, foi feito através de uma operação de nicho, que soube explorar inicialmente lacunas na telefonia fixa e depois surfou na onda da banda larga. O grande fantasma do leilão parece ser o sisterma de contrapartidas, que foi mantido pela Anatel do leilão das demais faixas que aconteceu em 2007. Quem comprar frequência na capital paulista, por exemplo, leva junto o Norte do Brasil. Além disso, o vencedor assume compromissos de cobertura, o que é conflitante com um negócio de nicho. "Acho que se fosse livre, a demanda pela licença seria maior", diz Roche.