TABLETS

Apple mostra habilidades musicais do iPad


São Paulo - Para uma agência de propaganda, a vantagem de ter um produto versátil com um tablet nas mãos, mais especificamente um iPad da idolatrada marca Apple, é a quantidade de possibilidades para se comunicar com os mais diversos públicos.



Foi exatamente o que fez a TBWA, com a Media Arts Lab, para promover o produto no intervalo do Grammy, o maior e mais festejado prêmio da indústria mundial da música.

O filme, de um minuto, mostra como é possível utilizar a tecnologia do aparelho para produzir e tocar canções diversas.

Destaque para a trilha, um remix da música "All or Nothing", da cantora Elliphant.


O anúncio foi veiculado nos Estados Unidos, logo após a empresa da maça demonstrar seu relatório do último trimestre de 2014 e uma queda de vendas do iPad em 17%.


Office 15 - Microsoft mira tablets

17 de julho de 2012


A Microsoft anunciou nesta segunda-feira (16/07) o mais novo pacote Office, que chega a sua versão de número 15. Em um evento em São Francisco (Estados Unidos), Steve Ballmer, CEO da empresa, mostrou algumas das novas características do produto, cuja versão para testes já pode ser baixada gratuitamente no site da companhia. 
Criado em 1989 e padrão desde então, a suíte ganha uma necessária atualização para o século 21. As principais novidades são a adaptação dos softwares ao toque dos dedos e a ênfase no arquivamento na nuvem, o que facilitará o acesso a documentos em múltiplas plataformas. O novo pacote Office pega emprestado algumas das características do Windows 8, como a interface Metro, tornando o produto mais limpo e intuitivo. 
Os programas - Word, PowerPoint, Excel, OneNote, InfoPath Designer, InfoPath Filler, Publisher, Lync, Access e Outlook - poderão ser controlados não apenas pelos tradicionais mouse e teclado, mas foram adaptados para funcionar também em superfícies touchscreen e com o auxílio de uma caneta stylus.

É possível, por exemplo, escrever um e-mail com sua stylus – como a que a Microsoft lançará com o tablet Surface –, converter automaticamente a escrita em texto digitado e enviá-la como e-mail, em alguns poucos toques. A stylus também poderá ser usada como uma caneta laser em apresentações no Power Point, com extras como o que permitirá dar zoom em áreas específicas dos slides.

O Office 15 está todo apoiado no arquivamento em nuvem e no sistema SkyDrive. "Estamos em uma transição de negócio, fazendo do Office um serviço da nuvem", disse Kirk Koenigsbauer, vice-presidente corporativo da divisão Office da Microsoft. A partir de agora, o sistema de cloud computing arquivará automaticamente todos os documentos produzidos no Office, o que facilitará a sincronização de trabalhos entre máquinas distintas, como PCs e tablets.

A intenção da Microsoft é tornar o Office um produto multiplaforma e multiuso, apagando a imagem exclusivamente executiva que o produto adquiriu nos últimos anos.

O Word também ganha uma série de reparos, como o que possibilitará, finalmente, a abertura e a edição rápida de arquivos em PDF.  Elementos multimídia como vídeos do YouTube também ganham destaque no programa de escrita, que escurecerá toda a tela ao mostrar um preview, bastando um clique fora do campo de exibição para confirmar a inserção do vídeo e para continuar a edição.

Outras novidades são o PeopleCard - um sistema que permitirá que a pessoa veja, de dentro do Office, atualizações de status do Facebook, do LinkedIn e informações de contato dos seus contatos – e a integração da suíte com o Skype, cujos contatos poderão ser adicionados ao Lync. Além disso, quem comprar o novo pacote Office ganha uma hora por mês de conversas no programa de voz sobre IP.

A Microsoft ainda não divulgou informações como preço ou data de lançamento oficial do novo produto. A suíte será dividida nas categorias caseira, escolar e executiva, mas pela primeira vez a Microsoft ampliará o espectro do programa Office 365 – que, por uma taxa fixa mensal ou anual, permite o download das versões mais recentes do Office em qualquer dispositivo, assim como a atualização gratuita de qualquer máquina que já conte com versões passadas dos softwares.


Lenovo e NEC desenvolverão tablets conjuntamente
06 de julho de 2012


AO grupo Lenovo e a japonesa NEC estão planejando desenvolver tablets conjuntamente, noticiou o jornal Nikkei.
As companhias, que já possuem uma parceria para desenvolver computadores pessoais, estão colaborando em pesquisa e desenvolvimento de tablets, afirmou o presidente do conselho da joint venture Lenovo-NEC, Roderick Lappin, ao jornal.
As duas unidades da joint venture -a NEC Personal Computers and Lenovo Japan- vendem tablets separadamente atualmente, disse o Nikkei.
A Lenovo, segunda maior fabricante de PCs do mundo, e a NEC firmaram a parceria nas operações japonesas em julho de 2011.
Fonte: Estadão


Nokia planeja tablet para 2012
28 de novembro de 2011


A Nokia, fabricante finlandesa de celulares e smartphones, planeja lançar em junho de 2012 um tablet equipado com o novo sistema operacional da Microsoft, o Windows 8. A notícia foi dada pelo presidente da sucursal da companhia na França, Paul Amsellem, em entrevista ao "Les Echos". Ainda de acordo com o executivo, a empresa deve lançar novos smartphones da linha Lumia mais sofisticados também no próximo ano. Sobre os novos telefones celulares, Amsellem fez uma breve analogia e disse que o atual Lumia 800 - equipado com Windows Phone 7 - equivale “apenas” a um BMW série 5. "Em breve teremos uma linha completa com modelos como o série 7 também", disse. Embora a Nokia não tenha comentado as declarações do executivo, Amsellem garantiu que o novo tablet chega nos próximos meses. Sem dar detalhes sobre o hardware, ele confirmou a data ao jornal francês. "Em junho de 2012, teremos um tablet com o Windows 8", completou. Questionado sobre a entrevista, um porta-voz da Nokia disse apenas que a companhia não anunciou oficialmente nenhum plano específico para tablets. Segundo a Microsoft, ainda não há uma data oficial para o lançamento do próximo Windows no mercado. Tudo o que se sabe é que o novo sistema operacional da gigante americana será chega em meados de 2012. Segundo a companhia, o software irá funcionar em tablets, PCs, laptops e computadores all-in-one.





Positivo entra no mercado de tablets
20 de setembro de 2011

A brasileira Positivo Informática anunciou nesta terça-feira sua entrada no aquecido mercado de tablets com uma linha chamada Positivo Ypy. Os aparelhos Ypy serão vendidos em duas versões: com telas de sete e dez polegadas. Além dos dispositivos móveis, a companhia também lançou um portal com uma loja de aplicativos, livros e músicas.


Uma das apostas da fabricante é a oferta de mais de 50 aplicativos exclusivos para o mercado nacional pré-instalados nos aparelhos que rodam ainda uma versão 100% adaptada para o português do sistema operacional móvel Android, da Google.

O produto chega em um momento em que o governo brasileiro desonera o segmento de tablets e em que grandes marcas mundiais como Apple e Samsung se firmam na disputa pelo crescente mercado.
Linha Ypy chega em outubro, a partir de R$ 999

Os tablets da Positivo chegam ao varejo na segunda quinzena de outubro com recursos de comunicação sem fio via redes Wi-Fi e 3G, suporte a Adobe Flash, saída HDMI para conexão com a TV e acelerômetro para o uso em jogos.

O Positivo Ypy 7 chega ao varejo na segunda quinzena de outubro, com preço sugerido a partir de R$ 999, equipado com o sistema Android 2.3.4, da Google. Com bateria de longa duração, ele tem autonomia de até nove horas em uso constante, afirma a fabricante. Com 420g e 11,8mm de espessura ele conta com resolução de tela de 1024x768 e câmera frontal para videoconferências.

A linha Ypy 10, por sua vez, ainda não tem uma data definitiva para começar a ser comercializada, mas estará disponível até o Natal, destaca a fabricante. Equipada com sistema Android 3.2, conhecido como Honeycomb, o dispositivo de dez podelagas tem 700g e a mesma espessura do Ypy 7. Ele tem ainda câmera frontal e traseira e GPS com bússola digital. Já a bateria dura um pouco menos, com autonomia de até oito horas em uso contínuo.

Além do acesso à Android Market, loja de aplicativos da Google, a fabricante também investiu no desenvolvimento do Mundo Positivo, ambiente que trará conteúdos específicos para o mercado brasileiro, entre revistas e jornais nacionais, livros, filmes, músicas e jogos, além de ferramentas de trabalho e redes sociais. O conteúdo do portal inclui músicas de artistas como Ivete Sangalo, Zeca Pagodinho e Seu Jorge.

A loja entrará no ar simultaneamente ao lançamento do tablet.

Ypy: um tablet tupi-guarani
Líder na venda de computadores no país, a Positivo afirma que a sua linha de tablets Ypy foi desenvolvida a partir de pesquisas com o público brasileiro, desde hardware e design até sistema operacional, que foi traduzido na íntegra para o português. Segundo Hélio Bruck Rotenberg, presidente da empresa, a Positivo estudou o comportamento do consumidor durante 20 meses para chegar ao produto. Ainda de acordo com a companhia, o nome Positivo Ypy que quer dizer 'primeiro' em tupi-guarani. Aproveitando o mote, a empresa twittou as novidades pelo seu perfil ( @positivo_info ) com a hashtag #oprimeiro durante o lançamento. O Positivo Ypy tem uma peculiaridade no hadware, sua tela sensível ao toque tem formato 4:3. Segundo a fabricante, ideal para o consumo de conteúdos digitais como livros, revistas e jornais, além de páginas de internet.

Em software, na versão em português do Android, o teclado virtual também foi traduzido para a língua portuguesa com teclas "ponto br" e cedilha adicionadas ao sistema.




Sony apresenta seus novos tablets
01 de setembro de 2011


A Sony apresentou nesta quarta-feira dois tablets: um com controle remoto universal (S) e outro, dobrável (P). A expectativa é se diferenciar de uma série de concorrentes que já disputam o mercado. A companhia japonesa anunciou os preços para o modelo S com tela de 9,4 polegadas e conexão WiFi. O tablet com 16 Gb custará US$ 499 nos Estados Unidos e a versão de 32 Gb será vendida por US$ 599, o mesmo preço do iPad, da Apple. A Sony afirmou que o segundo aparelho modelo P começará a ser vendido até o fim do ano, mas não divulgou valores pois o modelo será distribuído exclusivamente pela operadora americana AT&T.

O tablet S da Sony conta com recursos de controle remoto universal para rádios, decodificadores de TV a cabo e televisores de várias marcas. O aparelho tem um design curvo que se assemelha a uma revista virada para tornar mais simples o uso com uma mão, afirma a companhia. O segundo modelo lançado pela companhia, o P, tem 4 Gb de memória e é equipado com duas telas de 5,5 polegadas que se dobram quando o usuário fecha o aparelho. O modelo também possui conexão de rede celular 4G.
Os tablets da Sony vêm com serviço gratuito de download de filmes e vídeos e versão de teste de serviço de músicas. Segundo a companhia, os aparelhos também podem ser usados para jogos do PlayStation original.

A Sony afirmou em janeiro que se tornaria a segunda maior fabricante de tablets do mundo , atrás da Apple, até 2012, e deve manter essa meta nesta quarta-feira, em Berlim, quando o presidente-executivo do grupo, Howard Stringer, lançar os aparelhos.

Mas pelo menos um especialista que testou o modelo S não tem tanta certeza disso.
- Eu não acho que ele tem a mesma sensação, design e qualidade de montagem que tanto o iPad 2, quanto o Galaxy Tab, têm agora - disse Tim Stevens, editor-chefe do blog Engadget.
- Eu honestamente não acho que este será o tablet que realmente catapulte a Sony na liderança da plataforma Android, que é onde precisa estar se quiser ser número dois do mercado - acrescentou.
Os tablets da Sony executam o sistema operacional Android, do Google - assim como o Galaxy Tab, da Samsung; e muitos outros modelos de empresas como Acer, Asustek e Motorola - e foi apresentado pela primeira vez em abril .

As vendas mundiais de tablets devem mais que triplicar este ano, para 60 milhões de unidades, segundo a empresa de pesquisa IHS iSuppli. Para 2015, a expectativa é de vendas de 275,3 milhões de unidades.




HP desfaz divisão de PCs e decide encerrar tablet TouchPad e smartphones 
19 de agosto de 2011

Em um dramático processo de reorganização dos seus negócios, a Hewlett-Packard (HP) anunciou nesta quinta-feira que encerrará a produção do seu tablet TouchPad e de seus smartphones e que também deve vender ou desmembrar sua divisão de PCs.

Como resultado, a empresa sairá do mercado de consumo final e focará seus esforços em serviços de nuvem e de dados para o mercado corporativo.

Trata-se de uma das reformas mais dramáticas da história da empresa, fundada há 72 anos, e uma tentativa do diretor-executivo Leo Apotheker de aproximar a HP de sua rival histórica IBM. Em 2005, a centenária IBM vendeu sua divisão de PCs para a Lenovo, restringindo sua atuação ao mercado corporativo, e vai muito bem, obrigado.

Uma década atrás, a HP ressurgiu após uma amarga luta para gastar mais de US$ 24 bilhões na compra da Compaq Computer, pavimentando sua trajetória rumo ao topo do mercado mundial de computadores. Hoje, três CEOs mais tarde, a HP está mudando bruscamente de rumo.

Embora a divisão de PCs da HP seja a maior geradora de receitas para a empresa, também é a menos lucrativa. Há rumores sobre seu desmebramento há tempos, mas seis meses atrás a HP desmentiu os boatos, chamando-os de "jornalismo irresponsável" e alegando que os PCs são "fundamentais para a estratégia da HP para o mundo conectado".

Mas, dada a crise pela qual passa o segmento de PCs, a notícia não é tão surpreendente. O que é de fato surpreendente é a HP ter decidido encerrar seus incipientes negócios em mobilidade, setor que está em alta e é tido como o futuro da tecnologia.

Há apenas dois anos, a companhia gastou US$ 1,8 bilhão na compra da fabricante de smartphones Palm, o que lhe rendeu o sistema operacional móvel HP webOS - que, embora elogiado pela crítica, não fez sucesso junto ao público. O fato é que os produtos da HP não conseguiram fazer frente ao sucesso de vendas de Apple e Google, com seu Android.

A empresa também anunciou hoje que negocia a compra da Autonomy, firma britânica de gerenciamento de dados. Antes do anúncio, a agência de notícias Bloomberg vazou a informação dizendo que a negociação estaria no patamar dos US$ 10 bilhões. Mais um sinal de que a companhia quer distância do mercado de consumidor final e deseja focar em serviços para empresas.

A HP também anunciou seus resultados trimestrais uma hora antes do planejado. As ações da companhia caíram 4,4%.


União Europeia libera venda do tablet da Samsung
17 de agosto de 2011


O tribunal de justiça de Dusseldorf, que na última semana havia proibido a venda do Samsung Galaxy Tab 10.1 em grande parte da União Europeia, voltou a liberar a comercialização do tablet da fabricante sul-coreana.

Em decisão preliminar divulgada nesta terça-feira, 16, a corte permitiu a venda do aparelho novamente na região, mantendo a proibição apenas na Alemanha. A comercialização do Samsung Galaxy Tab havia sido proibida também na Austrália. Ambas as restrições foram tomadas após uma denúncia da Apple, que acusa a Samsung de copiar o design de seu iPad.

Apesar de o tribunal ter retirado a sanção para toda a União Europeia, o produto não pode ser distribuído nem produzido por nenhuma de suas unidades alemãs. A apelação da Samsung para conseguir a liberação da venda em todo o continente está agendada para o dia 25 de agosto.

Apple forjou provas contra a Samsung?
16 de agosto de 2011

Europeias (com exceção da Holanda), em uma ação movida pela empresa de Steve Jobs. A alegação, defendida em um tribunal alemão, era a de que o tablet da concorrente copiava em muitos aspectos o iPad 2. Mas nesta segunda-feira (15) foi detectado que as provas podem ter sido forjadas.

O portal holandês de tecnologia WebWereld detectou o problema no relatório enviado pela Apple à corte alemã, exibindo a prova de que a imagem do Galaxy Tab 10.1 - lançado neste sábado (13) no Brasil - havia sido manipulada para que suas dimensões ficassem visualmente semelhantes às do iPad 2, o que não retrata fielmente a realidade.

A questão é simples e pode ser detectada nas próprias medidas: o iPad 2 tem 18,57cm de largura, 24,12cm de altura e 8,8mm de espessura. Já o Galaxy Tab 10.1 tem 17,53 cm de largura, 25,67cm de altura e 8,6mm de espessura. Nos números, a diferença entre ambos é clara, variando em um centímetro na largura e quase 1,5cm na altura.

 Apesar de as medidas reais estarem presentes por escrito no relatório, a imagem, apresentada na página 28 da acusação da Apple, poderá ser utilizada como alegação pela Samsung para anular a decisão da corte alemã, já que as provas não são inteiramente confiáveis e condizentes com a realidade. Se a empresa sul-coreana recorrer, poderá dar fim à proibição da comercialização de seu tablet na União Europeia.


Apple impede a venda do Samsung Galaxy Tab 10.1 na Europa
10 de agosto de 2011

A disputa entre a Apple e a Samsung nos tribunais ficou mais animada do que nunca nessa terça. Lá na Alemanha, uma corte determinou que a Samsung pare de vender o seu tablet Galaxy Tab de 10,1 polegadas imediatamente na União Europeia. Com isso, a gigante asiática perde o acesso a nada menos que 26 países — todos integrantes do bloco.

Em juízo, a Apple conseguiu uma ordem judicial que bloqueia a comercialização do Galaxy Tab. Apenas um país não é afetado pela decisão: a Holanda, nação onde o tablet da Samsung poderá ser vendido. Entretanto, o acesso aos mercados mais interessantes (do ponto de vista econômico), como Inglaterra, Alemanha ou França, está impedido.

Não é de hoje que a Apple e a Samsung reclamam uma da outra publicamente. A Apple produziu uma enorme ação judicial, que corre não em um, mas em diversos países, solicitando o impedimento de que o Galaxy Tab seja vendido. 

Tablet Asus Pad Transformer chega com preços a partir de R$1.500
04 de agosto de 2011

Eee Pad Transformer tem autonomia de bateria de até 16 horas, e roda o sistema operacional Android 3.1; modelo com dock sai por R$1.899.

A Asus anunciou nesta quarta-feira o lançamento no mercado nacional do Eee Pad Transformer, seu primeiro tablet Android. Equipado com a versão 3.1 do sistema operacional (Honeycomb), é o segundo tablet com o sistema operacional da Google a chegar ao país, depois do Motorola Xoom.

O Eee Pad Transformer é baseado no mesmo hardware dos outros tablets Android atualmente no mercado: processador dual-core Nvidia Tegra 2 de 1 GHz, 1 GB de memória RAM e 16 GB de memória interna (expansível com cartões micro SD).

A tela multitoque de 10 polegadas tem resolução de 1280 x 800 pixels (maior que a do iPad e iPad 2) e há duas câmeras: uma traseira de 5 MP para fotos e uma frontal de 1.2 MP para videoconferência. Uma porta HDMI permite a conexão do tablet a uma TV de alta-definição.

Mas o principal destaque do Transformer é o acessório responsável por seu nome: uma "dock" com teclado (chamada Eee Station) e trackpad que o transforma em um netbook e inclui portas USB, leitor de cartões SD e uma bateria que amplia a autonomia em mais oito horas, num total de 16 horas longe da tomada.

No modo netbook o Transformer ainda roda Android (ao contrário do smartphone Motorola Atrix, que roda um ambiente baseado em Linux), com total acesso a todos os aplicativos e recursos do sistema operacional.

O Eee Pad Transformer custará R$ 1.499 na configuração com 16 GB de memória interna. O "pacote" com a dock Eee Station sai por R$ 1.899, e também será possível adquirir apenas a dock separadamente por R$ 399. O produto já está em pré-venda em lojas online como a Fnac, e estará nas lojas a partir do início da próxima semana.

Inicialmente o produto será importado, mas a empresa tem intenção de produzir o aparelho localmente. Segundo Marcel Campos, Product Manager da Asus no Brasil, há possibilidade de redução do preço, graças aos incentivos oferecidos pelo governo para a produção local.


Apple impede vendas do novo tablet da Samsung
02 de agosto de 2011

A Samsung concordou em interromper as vendas da nova versão do tablet Galaxy Tab na Austrália até que o processo de patente movido pela Apple no país seja resolvido, informou a agência de notícias Bloomberg nesta segunda-feira. 

A Apple processou a Samsung na Austrália alegando que o Galaxy Tab de 10,1 polegadas viola dez patentes da empresa da Califórnia. A Bloomberg acrescentou que a Samsung também concordou em parar de anunciar a versão americana do tablet na Austrália.

A Samsung também concordou em fornecer à Apple três amostras de uma nova versão australiana de Galaxy pelo menos sete dias antes de começar a vendê-lo, para que a empresa possa avaliar possíveis infrações.
Pelo acordo, alcançado pelos advogados durante um intervalo da audiência no caso, a Apple terá que pagar uma indenização não especificada à Samsung se vier a perder o processo, disse a Bloomberg.

Representantes de Apple e Samsung nos Estados Unidos não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto.

A fabricante do iPhone processa a Samsung por violação de patente em vários outros países, inclusive na terra natal da rival, a Coreia do Sul.

A troca de acusações na Justiça entre as duas empresas começou em abril, quando a Apple processou a Samsung em um tribunal federal da Califórnia alegando que a linha de celulares e tablets Galaxy, da Samsung, copia "fielmente" o iPhone e o iPad.

A Samsung replicou com outro processo na Califórnia, enquanto a Apple, entrava com outro processo na Coreia do Sul, país da rival.

Além de celulares e tablets próprios, a Samsung fabrica chips para aparelhos da Apple, um negócio que gerou cerca de US$ 5,7 bilhões em receita para a empresa sul-coreana no ano passado.





Transforme seu IPAD em um IMAC
26 de julho de 2011



Que tal uma adaptador de iPad com super auto-falantes e que de quebra o transforma em um Tudo-em-um ou para ser mais claro, um iMac! Yeah! Com o protótipo ArtStation Pro, da iLuv, seu tablet pode se transformar em um desktop com o auxilio do teclado bluetooth. O ArtStation Pro tem um braço giratorio que permite seu tablet ficar tando na posição de retrato (horizontal), quanto em vertical, e está disponível em uma escolha de branca, preto ou prata.Estára disponivel em breve nas lojas iLuv (http://www.i-luv.com/index.asp) ainda sem previsão de preço. E se você possue um Galaxy Tab, aguarde, tem previsões do ArtStation Pro para o tablet também.


Samsung lançou versão mais leve e fina do Galaxy Tab
20 de julho de 2011

A Samsung lançou nesta quarta-feira na Coreia do Sul uma versão mais leve e fina do Galaxy Tab, em um esforço para tentar conquistar parte do imenso mercado dominado pelo iPad, da Apple. A tela do tablet é maior com 10 polegadas e mais nítida do que a do iPad 2 (com resolução de 1280x800). O modelo ficou um pouco mais leve, pesando 596 gramas. O Galaxy Tab com tela 10,1 polegadas é uma versão melhorada do modelo com tela de 7 polegadas, lançado em outubro de 2010. O aparelho funciona com a mais recente versão do sistema operacional da Google, o Android Honeycomb, que foi desenvolvida exclusivamente para tablets e conta com um processador de núcleo duplo Tegra 2, da Nvidia. Sua bateria dura até nove horas rodando vídeos ou 72 horas ouvindo músicas e o aprelho tem suporte ao Adobe Flash. O dispositivo traz ainda duas câmeras, a traseira que grava vídeos HD (720p) e fotografa em 3MP e a frontal de 2MP para videconferências, conexões Wi-Fi e 3G e GPS. Com preços a partir de US$ 500 nos Estados Unidos (para o modelo somente Wi-Fi com 16 GB), comparáveis aos valores praticados no iPad 2, o novo dispositivo da Samsung enfrenta forte concorrência de mais de cem outros aparelhos lançados em resposta ao iPad, a maioria deles também rodando Android. Na Coreia do Sul, o modelo de 16 gigabytes Wi-Fi do novo Galaxy Tab será vendido por 671 mil wons (US$ 633), ligeiramente mais caro que o modelo comparável do iPad, que é comercializado por cerca de 640 mil wons. No Brasil, o aparelho só chega ao final do segundo semestre e ainda não há previsão para os valores praticados no país. De acordo com a Samsung, o tablet com 7 polegadas, função telefone, TV Digital e 3G não vai sair de linha. O dispositivo mais compacto continuará a ser produzido e ganhará também uma versão apenas com Wi-Fi. Concorrência quer desbancar reinado da Apple. No entanto, até o momento Apple e Samsung vêm dominando o mercado de tablets, vistos inicialmente como um brinquedo com acesso à internet, mas que capturaram a imaginação de empresas como hotéis de luxo, companhias áreas e serviços de planejamento de casamentos que estão utilizando os tablets para vender seus serviços . Produtos concorrentes como o PlayBook, da Research in Motion, e o Xoom, da Motorola, receberam críticas pouco entusiasmadas , enquanto o TouchPad, da Hewlett-Packard, está chegando tarde ao mercado, e o grupo de varejo on-line Amazon.com revelou apenas na semana passada seus planos de ingresso nesse mercado superlotado. Na quarta-feira, a Lenovo realizou o lançamento mundial de três tablets. A Dell optou por lançar seu novo tablet Android com tela de 10 polegadas na China , dentro de algumas semanas, preterindo um lançamento na Europa e EUA porque a China está emergindo como linha de frente na batalha pelo segmento. As vendas de iPads no segundo trimestre bateram recorde e superaram de longe as expectativas do mercado , o que destaca o desafio que a companhia sul-coreana Samsung precisa enfrentar. Suas ações fecharam com alta de 3,5% nesta quarta-feira, o que levou o valor de mercado da maior companhia de tecnologia da Ásia para cerca de US$ 130 bilhões.
A Apple vendeu 14 milhões de iPads no primeiro semestre, ante estimativas de analistas de um total de 7,5 milhões de Galaxy Tabs para todo o ano de 2011.



Tablets terão 80% de matéria prima brasileira em três anos, estima Mercadante
12 de julho de 2011

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, esteve nesta segunda, 11, em Goânia, na 63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), onde destacou a necessidade de o Brasil concentrar esforços no mercado interno. Como exemplo, o ministro mencionou a desoneração tributária e o incentivo à produção nacional de tablets. "Temos que entender que o nosso patrimônio é o mercado interno. Por isso, precisamos exigir mais processos produtivos básicos para incentivar a produção de bens com conteúdo brasileiro. Já fizemos isso com os tablets. No início acreditava-se que as empresas não se interessariam. Hoje, temos 14 empresas interessadas. Destas, nove já estão com seus processos aprovados. "Em setembro, teremos tablets com um percentual de 20% de matéria-prima do próprio País. A meta é atingir em três anos 80%", complementou. Segundo Mercadante, o Brasil precisa dar um “salto quântico” na área de pesquisa, desenvolvimento e inovação e se tornar uma economia mais competitiva em produtos de média e alta complexidade. O ministro calcula que para cada tonelada de chip que o Brasil importe seja preciso exportar 21 mil toneladas de minério de ferro ou 1,7 mil toneladas de soja. A falta de uma indústria sofisticada em eletrônica fez com que o País tivesse no ano passado um déficit comercial de US$ 19 bilhões. O Brasil é o sétimo mercado para tecnologia de informação e comunicação. Mercadante quer aproveitar o tamanho do mercado interno, que crescerá com a inclusão digital de escolas públicas e comunidades mais pobres, para incentivar a instalação da indústria de tablets em território nacional. 

Pré-sal 

O ministro também defendeu que os recursos dos royalties do Pré-sal sejam usados para financiar gastos públicos em educação, ciência e tecnologia. Em sua opinião, os royalties servirão para reposicionar o País no cenário mundial. Para ele, não aproveitar os recursos dessa forma seria "o maior erro histórico" do Brasil. 


Huawei lança tablet MediaPad com Android 3.2
22 de junho de 2011

A chinesa Huawei divulgou um tablet de 7 polegada com o sistema operacional Android em Cingapura nesta segunda-feira, e afirmou também estar desenvolvendo um aparelho de 10 polegada, o que a coloca em competição com Apple e Samsung. O MediaPad usará o sistema operacional móvel Android, da Google. Entretanto, será empregada uma versão diferente, a Honeycomb 3.2. Previamente desenvolvido para tablets com telas maiores, o Honeycomb 3.1 foi otimizado para o dispositivo com 7 polegada. O hadware terá também um processador de dois núcleos com frequência de 1,2 GHz da Qualcomm e porta micro USB. Ele também terá aplicativos pré-instalados como os do Twitter e do Facebook além de ter integração com todos os aplicativos Google via Android. Victor Xu, vice-presidente de marketing da unidade Huawei Device da Huawei, disse que a empresa pretende estar entre as cinco maiores vendedoras de aparelhos móveis dentro de três anos, um setor atualmente dominado por empresas como Nokia, Samsung e Apple. Também estamos desenvolvendo um tablet de 10 polegadas. Esperamos lança-lo este ano - disse Xu. No entanto, ele se recusou a dar mais detalhes e também não quis dizer qual é o preço provável do novo tablet de 7 polegada, o MediaPad. A companhia, segunda maior fornecedora de equipamentos de telecomunicações atrás da Ericsson, não definiu nenhuma meta de vendas para o MediaPad, que estará disponível para compra no terceiro trimestre do ano em lojas de varejo e junto a operadoras de telecomunicações. A Huawei Device é uma divisão da Huawei Technologies que fabrica celulares, smartphones e tablets. A Huawei compete com Ericsson, Nokia Siemens Networks e ZTE no mercado mundial de equipamentos de rede e está entrando progressivamente no mercado de aparelhos móveis. A empresa afirmou em abril que espera ter receita de US$ 100 bilhões dentro de uma década, movida pelas vendas de aparelhos de telecomunicações e smartphones.



Sansung Galaxy Tab 10.1 mais fino que o IPAD
17 de junho de 2011

No mundo dos Androids, se destacar está se tornando uma tarefa cada vez mais desafiadora para os fabricantes. Com a sua nova Galaxy Tab 10,1 dispositivo, a Samsung conseguiu se destacar com uma qualidade de poucos conseguiram: sensualidade. Isso mesmo: A Aba Galaxy 10.1 é sexy. Em um mero 8.6 mm de espessura, o Galaxy Tab 10,1 é ainda mais fino (por um fio de cabelo) do que iPad comemorado Apple 2, que está listado em 8,8 mm. Ele pesa cerca de £ 1,25, tornando-se 6% mais leve do que os 2 e um iPad uns espantosos 20% mais leve que o Xoom Motorola, o dispositivo da capitânia atual para plataforma Android do Google tablet Honeycomb. Quando cegamente segurando a guia eo apartamento Xoom em suas palmas, como placas, é difícil de medir a diferença de peso. Mas segurando os comprimidos individualmente na frente de você, como você faria quando realmente usá-los, formam a luz nova aba é impossível não notar. A pouco mais de 8,6 milímetros de espessura, o Galaxy Tab 10.1 (topo) está visivelmente mais fino do que os 12,9 milímetros Motorola Xoom (baixo). E o Tab 10,1 praticamente implora para ser realizada. Esta coisa possue todas as curvas suaves: A sua guarnição prata metálica forma uma fronteira suavemente arredondada em torno de sua tela de 10,1 polegadas. A guarnição se estende por cerca de meia polegada para baixo para trás a guia, que abrange a área de câmera traseira. A placa traseira em si é de plástico branco brilhante; um modelo cinza escuro também está disponível.

Sob o capô
Tab da Samsung Galaxy 10,1 é alimentado por uma Nvidia Tegra 2 processador de 1 GHz dual-core, o mesmo processador usado no Xoom e inúmeros outros dispositivos high-end Android. Como o Xoom, o Tab Galaxy tem 1GB de RAM. Como seria de esperar, dadas as especificações, o desempenho do Tab é impressionante: eu descobri que swiping através de painéis de tela inicial foi rápido e fluido, e aplicativos carregados quase que instantaneamente. Uso intensivo de recursos de jogos como o Tegra otimizado Riptide GP e Pinball HD jogou bem, mostrando o que é GPU Nvidia GeForce pode fazer.  Navegação na web sobre o Tab 10.1 foi rápida e sem problemas (com exceção de alguns sites como o carregamento versões móveis - um problema de desenvolvimento Web que é solucionável com uma simples correção). Separadamente com o Adobe Flash Player baixado no local, baseado em Flash vídeos jogado facilmente no navegador do favo de mel; Eu assisti vários clipes sem sequer um pontinho único na reprodução.
(Conteúdo em Flash Android, vale a pena notar, carrega apenas sob demanda, como tal, você não acaba vendo coisas como Flash baseado em anúncios, a menos que você escolhe para tocar e carregá-los.) . O problema de desempenho relacionados com o que eu notei foi uma tendência para a tela, por vezes, leva muito tempo para girar ao ligar o aparelho, especialmente na tela inicial. Este parece ser um soluço comum com comprimidos Android Honeycomb, no entanto, e não exclusiva para o Galaxy Tab 10.1. Em termos de vida útil da bateria, a guia pode durar um sólido nove horas com reprodução de vídeo contínua. Para uso no dia-a-dia normal, você deve facilmente ser capaz de ir um dia bom poucos, sem necessidade de carga. O componente central de qualquer tablet é sua tela, e os 10,1 Tab Galaxy brilha neste departamento. A Aba de 1280 x 800 pixels LCD é ousado e vibrante, com cores brilhantes e definição nítida. A configuração com cores intensas faz a tela do Xoom (também 1280 x 800) olhar quase sem som, em comparação. Dito isso, exiba a guia do parecia um pouco saturado em alguns momentos. Nas fotos, por exemplo, pele parecia significativamente mais alaranjado do que deveria - não necessariamente uma coisa ruim para a pálida entre nós -, enquanto a representação do Xoom de cor era muito mais fiel à realidade. Como qualquer gadget brilhante de superfície, o Tab Galaxy parece pior no sol. Mas enquanto a tela apareceu mais lavada em condições ao ar livre, eu era capaz de ver imagens e ler o texto com relativa facilidade, mesmo sob luz solar direta. Ainda assim, achei o Xoom para geralmente se saem melhor em ambientes muito iluminados. Eu não tinha escrúpulos com capacidade de resposta a guia de tela sensível ao toque, que me pareceu mais ou menos comparável à de outros comprimidos high-end do favo de mel.

Android versus Iphone e Ipad
14 de junho de 2011


No mercado de tablets a Apple possui a liderança absoluta e o Android da Google é o único que possui quota de mercado de dois dígitos. Na arena dos smartphones existes outros concorrentes como o BlackBerry e Windows. No entanto, a BlackBerry está com sua quota de mercado diminuindo, segundo a última pesquisa da comScore. E na linha dos smartphones a Apple em Abril já ultrapassou a BlackBerry. Vamos aos dados, segundo a Gartner o IOS da Apple detém no mundo dos tablets 83,9% do mercado contra 14,2% do android, porém o gartner projeta que até 2015 essa diferença fique entre IOS da Apple com 50% e Android com 40% de quotas de mercado.