PNBL (Plano Nacional de Banda Larga) - 100 cidades-alvo a R$35,00




A Meta do Governo em conexões de banda larga já foi definida em 2010. No Fórum Brasil Conectado, desse mês de agosto a lista das primeiras 100 cidades do país - além de 15 capitais e o Distrito Federal - que contarão com oferta de backhaul da Telebrás.
O acesso à internet deve ficar dentro do teto de preço de R$ 35 como definido pelo Plano Nacional de Banda Larga.A divulgação da lista das 100 cidades tem como objetivo, além de nortear a Telebrás, visa atrair provedores de acesso interessados em utilizar a capacidade no atacado a ser vendida pela estatal.


      "Vamos precisar de parceiros entre os pequenos provedores e esperamos que, com o anúncio, esses parceiros apareçam", diz o presidente da Telebrás, Rogério Santanna.
      A seleção das primeiras cidades obedeceu alguns critérios, especialmente de estarem situados a até 50 km da linha principal de fibras óticas do setor elétrico que será gerenciada pela Telebrás. Além disso, representam principalmente municípios com baixo IDH (indice de desenvolvimento humano), reduzida proporção de acessos - alguns casos nenhuma - e a existência de programas como UCA, Cidade Digital, Telecentro, etc.
      Caso o governo não consiga os parceiros em todas as cidades, há duas opções como contingência preparadas. A primeira, a troca de algumas cidades por outras - e já existe uma lista com outras que obedecem os mesmos critérios de seleção. 
      A outra alternativa será, naturalmente, a prestação direta de acesso pela Telebrás, mas o objetivo é que isso só aconteça depois do Comitê Gestor dos Programas de Inclusão Digital (CGPID) definir os critérios do que é a ausência de "oferta adequada" onde haverá competência da estatal atuar.
Além de possibilitar a venda de capacidade no atacado e, assim, induzir ofertas mais baratas de acesso à internet, a lista das 100 primeiras cidades inclui as capitais e, com isso, especialmente ao ligar Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, permitir que o governo tenha condições de, gradativamente, substituir os contratos de comunicação de dados em vigor com as operadoras privadas.


Prováveis 100 cidades beneficiadas serão: 


Angra dos Reis (RJ), Nova Iguaçú (RJ), São Gonçalo (RJ),  Piraí (RJ), Mesquita (RJ), Rio das Flores (RJ), Duque de Caxias (RJ), Casemiro de Abreu (RJ), Arapiraca (AL), Messias (AL), Palmeiras dos Índios (AL), Joaquim Gomes (AL), Pilar (AL), Rio Largo (AL), Feira de Santana (BA), Itabuna (BA), Camaçari (BA), Governador Mangabeira (BA), Eunápolis (BA), Governador Lomanto (BA), Muritiba (BA), Presidente Tancredo Neves (BA), Sobral (CE), São Gonçalo do Amarante (CE), Quixadá (CE), Barreira (CE), Maramguape (CE), Russas (CE), Cariacica (ES), Domingos Martins (ES), Conceição da Barra (ES), Piúma (ES), São Mateus (ES), Vila Velha (ES), Itapemirim (ES), Anápolis (GO), Aparecida de Goiânia (GO), Trindade (GO) , Águas Lindas de Goiás (GO), Alexânia (GO), Itubiara (GO), Imperatriz (MA), Paço de Lumiar (MA),  Presidente Dutra (MA), Porto Franco (MA), Grajaú (MA), Barra da Corda (MA), Barbacena (MG), Juiz de Fora (MG), Conselheiro Lafaiete (MG), Ibirité (MG), Sabará (MG), Uberaba (MG), Riberão das Neves (MG), Santa Luzia (MG), Campina Grande (PB), Campo de Santana (PB), Araruna (PB), Riachão (PB), Dona Inês (PB), Bananeiras (PB), Duas Estradas (PB) Carpina (PE), Tracunhaém (PE), Nazaré da Mata (PE),  Paudalho (PE), Limoeiro (PE), Aliança (PE), Piripiri (PI), Campo Maior (PI), José de Freitas (PI), Piracuruca (PI), Batalha (PI), São João da Fronteira (PI), Santa Cruz (RN), Nova Cruz (RN), Passa e Fica (RN), Parnamirim (RN), Lagoa d'Anta (RN), Extremoz (RN), Açú (RN), Nossa Senhora da Glória (SE), Barra dos Coqueiros (SE), Laranjeiras (SE), Japaratuba (SE), São Cristóvão (SE), Carira (SE), Campinas (SP), Guarulhos (SP), Pedreira (SP), Serrana (SP), Conchal (SP), Embu (SP), São Carlos (SP), Gurupi (TO), Araguaína (TO), Guaraí (TO), Paraíso do Tocantins (TO), Wanderlândia (TO), Porto Nacional (TO).